Monthly Archives: junho 2010

Os Exercícios Básicos

Agachamento Musculação

Existem diversos exercícios para todos os grupos musculares, porém, os exercícios que atingem de forma mais profunda as fibras musculares são os exercícios básicos.
O treinamento básico não só atinge as fibras de forma mais profunda como também de forma mais completa. É claro que pra isso deve-se aplicar a técnica de forma correta em cada movimento. Vou citar alguns exercícios básicos e seus respectivos grupos musculares.
Perna: Agachamento livre ou na máquina, leg-press
Panturrilhas: Flexão plantar em pé, Flexão plantar sentado.
Costas: Levantamento terra, remada curvada com barra, puxada pela frente com pegada aberta.
Peito: Supino reto com barra, crucifixo, mergulho nas barras paralelas.
Bíceps: Rosca direta, rosca concentrada.
Tríceps: Pulley tríceps, tríceps no banco, tríceps Frances.
Ombros: Desenvolvimento pela frente com barra, elevação lateral e remada alta.
Antebraços: Flexão de punho com barra, Extensores de punho com barra.
Abdominais: Máquina para abdominais, abdominal (crunch banco reto ou inclinado)
  

Relembrando. Não deixe de incluir os exercícios básicos ao seu programa de treinamento, pois eles irão desenvolver o seu físico de forma segura e global.
 

Maltodextrina: O que é e como tomar

Maltodextrina é um carboidrato complexo, proveniente da conversão enzimática do Amido do Milho. Sua absorção pelo organismo é gradativa e lenta, pois contém polímeros de dextrose. Estes polímeros acabam sendo metabolizados lentamente, o que faz com que ela forneça energia durante uma atividade física que necessita de resistência e de longa duração, pois ela vai liberando a glicose gradualmente no sangue.

Muito usada por jogadores de futebol, basquete, maratonistas, e também pela maioria dos praticantes de musculação, que é foco principal desse post. O pessoal que visa a hipertrofia usa tanto a maltodextrina quanto a dextrose, para repor o glicogênio muscular e como transporte de nutrientes para dentro das células, sejam as proteínas, creatina, BCAAs e glutamina. Graças ao pico de insulina causado pelo alto índice glicêmico desses carboidratos.
Portanto, o horário mais indicado para se tomar a maltodextrina ou a dextrose, é junto com a Whey Protein no pós-treino, podendo tomar junto também a Creatina, BCAA, ou Glutamina. A Maltodextrina não causa efeitos colaterais, e caso você não tenha problemas de diabetes, pode tomar tranquilo, e mesmo os diabéticos podem tomar, mas com orientação médica claro.


Quanto de Maltodextrina devo tomar?


1 grama de carboidrato para cada kg de peso corporal Exemplo, se a pessoa pesa 60kg, utiliza 60gr de carboidrato, podendo ser divido em (50% de Dextrose e 50 % de Maltodextrina) – 30g de Proteína (um medidor que habitualmente vem nos potes de Whey) – 5 a 10g de Creatina – Glutamina e BCAA  – Cerca de 5g de cada. O preço médio do pacote de 1kg costuma girar em torno de R$10,00.

Dextrose vs. Maltodextrina

Uma discussão interminável que pode ser explicada em tão poucas linhas. Eu acho que faz parte da natureza humana complicar as coisas.
Digestão Apesar da Maltodextrina ser um carboidrato complexo, você não precisa se deixar levar por isso. A união dos compostos que formam a maltodextrina e a tornam um carboidrato “complexo” são fracos e extremamente simples o que faz com que a digestão dela seja somente um pouco mais lenta que a Dextrose.
Índice Glicêmico Qualquer entusiasta de fisiculturismo sabe que quanto maior o índice glicêmico do carboidrato maior vai ser o pico de insulina. Quanto maior o pico de insulina, maior vai ser o transporte de nutrientes para dentro das células, como proteína, creatina, glutamina, bcaas, entre outros nutrientes(por isso malto e dextrose são utilizados no pós-treino, junto de whey, creatina, etc). De uma forma simples, o índice glicêmico é um sistema numérico que indica como um carboidrato eleva a glicose no sangue e consequentemente a insulina, no qual a dextrose tem o valor de 111 contra 105 da Maltodextrin. A maltodextrina pode gerar um pico de insulina quase tão alto como a Dextrose.

BCAA – Guia Definitivo

O que é BCAA, efeitos e como tomar.


Você sabia que mais de 20 aminoácidos são necessários para a construção de músculos e para a manutenção de importantes funções vitais?
Seu corpo pode produzir quase todos os aminoácidos, com exceção de 8 a 10 que devem ser obtidos por meio da alimentação ou de suplementação, que são os chamados “aminoácidos essenciais”.

Dentre os aminoácidos essenciais, temos 3 deles que são os chamados BCAA:
L-Valina,
L-Leucina e
L-Isoleucina.

BCAA é a abreviação de “Branch Chain Amino Acids” que significa “aminoácidos de cadeia ramificada”. Eles estão entre os suplementos mais importantes para qualquer programa nutricional esportivo.
Os BCAA constituem até 35% da sua massa muscular e são indispensáveis para a manutenção e o crescimento dos músculos.

Além de construir células e reparar tecidos, eles formam anticorpos, fazem parte do sistema hormonal e enzimático, formam RNA e DNA e ainda transportam oxigênio pelo corpo.

Como agem os BCAA?

Durante o treino intenso com pesos, o corpo normalmente fica em um estado altamente catabólico. Nesse momento, se não existem nutrientes necessários para abastecer seu organismo durante o treino, ele começa a “roubar” os aminoácidos que estão presentes nos seus músculos para suprir as suas necessidades por energia. O resultado disso é que você acaba perdendo massa muscular.
O sinal para o corpo interromper a síntese de proteínas nos músculos e começar a entrar no estado catabólico é justamente a liberação desses BCAA “roubados” dos músculos.

Fornecer os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), especialmente durante esses períodos de estresse, faz com que esse sinal não seja dado, e consequentemente os músculos continuem a sintetizar proteínas e não entrem em catabolismo.
Falando de maneira mais técnica, os BCAA agem como transportadores de nitrogênio, que auxilia os músculos a sintetizarem outros aminoácidos necessários para promover o crescimento muscular.

Em outras palavras, os BCAA combinam aminoácidos mais simples para formar todo um tecido muscular mais complexo.
Ao fazer isso, os BCAA estimulam a produção de insulina, cuja principal função é permitir que o açúcar do sangue seja absorvido pelas células musculares e usado como fonte de energia.

Essa produção de insulina faz com que os aminoácidos penetrem mais facilmente nas células musculares, para que possam servir de matéria-prima na construção dos músculos.

Sentiu como tudo está interligado?!

Importantes co-fatores na suplementação de BCAA
Muitos fisiculturistas e atletas não dão muita importância à combinação e inclusão de co-fatores quando lidam com suplementos, mas isso é um erro que você não pode cometer.

A seguir você tem uma lista dos co-fatores que têm um papel importante no aumento da eficácia da suplementação de BCAA.

Cromo: A forma mais apropriada é o picolinato de cromo, que aumenta a eficácia da insulina. A insulina é o elo mais importante no processo de construção muscular.
O cromo aumenta a síntese de proteínas no corpo, além de promover a absorção intracelular dos aminoácidos livres presentes no sangue e sua assimilação pelas células.

Ele também retarda a taxa de degradação de proteína pelo corpo dentro das células. Por isso é muito importante aliar o Cromo à suplementação de BCAA.

Vitamina B6: Uma vez que a vitamina B6 é fundamental no metabolismo de aminoácidos, os atletas cujas dietas têm uma alta taxa de aminoácidos precisarão de uma quantidade maior dela no corpo. O transporte de aminoácidos para o interior das células depende muito do fornecimento adequado de vitamina B6.

Vitamina B12: A vitamina B12 é outro nutriente solúvel em água e bastante importante que deve estar sempre presente no metabolismo da proteína e na síntese dos aminoácidos.

Biotina: A Biotina possui um papel de destaque na síntese de proteína e na formação de glicogênio.
Para entender melhor o papel das vitaminas B-6, B-12 e Biotina e sua relação com os BCAA.

Quanto e quando você deve tomar os BCAA?
Pesquisas indicam que com 4-8 gramas de BCAA antes dos exercícios intensos e 4-8 gramas depois, você poderá otimizar seus resultados.

Uma quantidade menor também é eficaz, mas se você precisar de um desempenho melhor e uma recuperação mais rápida, uma dosagem maior será necessária para uma maior eficiência.

Ingerir os BCAA imediatamente antes ou durante um treino intenso com pesos ou um treino aeróbico vai melhorar seus resultados e seu desempenho.

Tomar os BCAA junto da alimentação pós-treino ou de um drink de recuperação irá ajudar na reposição mais rápida de BCAA nos músculos, acelerando a recuperação muscular e prevenindo o overtraining.

Qualquer pessoa que queira ganhar mais músculos ou mais energia naturalmente, sem qualquer efeito colateral, deve considerar seriamente a ingestão de BCAA.

Suplementos de BCAA indicados:


Albumina – Guia Definitivo

melhores-albuminas

O que é albumina, efeitos e como tomar?

Proteína da clara do ovo também de alto valor biológico mantendo-se ativa por cerca de 4 horas no organismo. Atletas não estão mais habituados ao seu uso devido a grande febre provocada pelo uso do whey. Esta é uma proteína que não deve ser excluída da dieta de qualquer atleta.

É comum ver atletas ingerindo ovos crus o que é extremamente perigoso e errado devido ao fato do usuário correr o risco de contaminar-se com Salmonella além de não obter efeito algum com isto, pois os ovos crus contêm a proteína AVIDINA que destrói a nossa vitamina H, de grande importância para o crescimento muscular. Ao invés de ovos crus, use a albumina em pó. Há boas marcas no mercado. Prefira sempre as que oferecem grandes doses de proteína/porção como o exemplo abaixo:Informação Nutricional:
Porção 15 g (1 colher de sopa)
Carboidratos: < 1 g
Proteínas: 11 g
Gorduras Totais: 0,0 g

Ao comprar albumina sempre observe o teor de carboidratos da mesma. Se o teor for alto é porque o fabricante adicionou maltodextrina ou outro carboidrato ao produto. Para obter resultados em ganhos de massa livre de gordura é necessário cuidar a ingestão de carboidratos deste tipo.



Benefícios da Albumina:

  • Aumento de massa muscular em grande definição. 
  • Grande quantidades de Aminoácidos de Cadeia Ramificada: BCAA (Isoleucina, Leucina e Valina) 
  • Participa efetivamente no período de recuperação pós-treino.
  • Fundamental para o crescimento e regeneração muscular.
  • Facilita a cura de contusões e machucados, promove uma pele mais bonita.
  • Otimiza o rendimento em treinos e competições , melhora o sistema imunológico.
  • 81% proteína , 0% de gordura, alto valor biológico (AVB).etc
Conservando a Albumina:

A albumina é facilmente conservada! Qualquer pessoa sabe como utilizar leite em pó, pois bem, os cuidados que se deve ter com a albumina são os mesmos. Não se colocar a mão diretamente na produto, já que as mãos exalam suor e podem estar com bactérias.

Após aberta a embalagem (que é fechada a vácuo), a albumina deve ser colocada em um vasilhame bem fechado, guardado em lugar seco e arejado. De preferência, ao abrigo da luz solar. Não usar colher suja ou molhada para lidar com o produto. Assim, a albumina em pó se conservará sempre fresca!













Horários de consumo da Albumina:

 
Primeiramente você deve consumir a albumina ou qualquer outro tipo de alimento de 3 a 3, ou até mesmo de 2 em 2 horas, isso vai depender do seu objetivo e disponibilidade.
 
Existem diversas formas de conjugarmos a albumina em nossas refeições:
 
Basicamente e em minha opinião vou colocar na ordem de prioridade as melhores horas para a melhor absorção e aproveitamento da mesma.
– Depois do treino:
Se não tiverem, preste atenção hein, se não tiverem condições de comprar uma Whey Protein, então coloque a albumina no lugar e tomem com dextrose ou maltodextrina. Mas ainda dou preferência para o pós treino a Whey, por ter uma absorção mais rápida e pela síntese protéica ser excelente.
 
– Antes de dormir:
Aí sim, acho o horário mais indicado para suplementar com albumina, muitos falam que ela é de lenta absorção, eu considero ela de média para lenta absorção, e nesse post eu explico o porque. Então pelo seu baixo custo comparado a outros suplementos protéicos, a albumina é o mais indicado como proteína “time release” durante esse período que ficaremos sem se alimentar.
 
– Ao acordar:
Lembre que você ficou um bom tempo sem comer, seu corpo necessita além de carboidratos, de proteína também para poder evitar o catabolismo, pode-se colocar ai, como disse, dependendo da disponibilidade de $$, uma Whey ou albumina no seu shake.
 
– Antes do Treino:
Bom, essa é uma opinião minha, muitos podem discordar, mas eu sou contra suplementação antes do treino, principalmente de fazer uso de maltodextrina como já expliquei em alguns posts e comentários por aqui. Dou preferência por uma boa refeição sólida um período antes de ir treinar, e só, sem suplementação.
 
Quanto à quantidade a ser consumida, vocês sabem que vai do objetivo de cada um, mas a recomendação é de aproximadamente 2g até 3g /Kg para o total de proteína da dieta somando-se suplementos e alimentos.




 

Whey Protein – Guia Definitivo

Melhores Whey Protein

O que é Whey Protein?

Esta é uma proteína concentrada do soro do leite, dentre as suas principais vantagens em comparação com outras fontes protéicas estão:

* Maior valor biológico (100)
* Promove maior retenção de nitrogênio (fator de crescimento muscular).
* Absorção mais rápida.
* Possui um maior teor de aminoácidos de cadeia ramificada BCAA’s.
* Livre de lactose (muitas pessoas não digerem bem a lactose).
* Rica em ocorrência natural de Glutamina (aminoácido não essencial que promove efeito de volumilização celular).
* Possui fator estimulante do sistema imunitório que sobrevive ao processo digestivo.

Marcas Recomendadas de Whey Protein:

 

Melhores Whey Protein

Melhor Horário para Tomar Whey Protein

Os principais e mais críticos horários de administração da whey são:

– O café da manhã, devido ao fato de você acordar de várias horas de sono sem administrar nenhum nutriente e estar com o cortisol (hormônio catabolítico) alto. Não há necessidade de administrar com carbo de alto IG (Índice Glicêmico) nesse horário, pode misturar aveia ou outro carbo.

– O período pré-treino, por proporcionar uma maior concentração de aminoácidos no plasma sanguíneo melhorando a capacidade de contração do músculo, diminuindo a fadiga central e melhorando o rendimento contanto que administrado 15 minutos antes do treino predito por uma refeição sólida uma hora antes.

O período imediatamente após o treino*, que é o principal horário devido ao fato da necessidade imediata de aminoácidos no sangue, coisa que a comida normal não pode fazer porque demora para ser assimilada. Sem falar no fenômeno chamado anorexia pós-treino, onde seu corpo demora ainda mais para assimilar os nutrientes. Nesse horário você deve administrar sua whey com um carbo de alto IG pois o pulso de insulina vai promover anabolismo e a whey será assimilada com maior facilidade.

– Antes de dormir em conjunto com uma caseína ou alguma proteína de lenta absorção para ter um mix de amino ácidos girando no sangue com a intenção de minimizar o catabolismo induzido pelo sono. Caso opte por administrar apenas a whey nesse período insira em conjunto com o shake uma colher de azeite de oliva caso não tenha uma caseína ou outra proteína, pois a mesma irá retardar a absorção do whey te dando aminoácidos por várias horas minimizando o catabolismo, pois a gordura do azeite retarda a absorção da proteína. Mais uma vez, nada de carbos nessa hora.

A orientação para uma boa administração do whey seria nesses horários, portanto 4 vezes ao dia. Porém como sabemos que essa não é uma realidade acessível para a maioria das pessoas, pelo menos *o pós-treino deve ser mantido pelos motivos já citados acima.

Como tomar Whey Protein

Whey é uma fonte protéica de rápida absorção, sendo assim, deve ser consumida com uma fonte de carboidrato de alto índice glicêmico tal como açúcar ou dextrose. Assim, você fará uma explosão de insulina que drenará todos os aminoácidos da degradação da Whey diretamente para dentro da onde você deseja: Os seus Músculos.

Dê mais um intervalo de 40-60 minutos no máximo e faça a sua refeição normal pós-treino, algo como arroz e/ou batata e o famoso peito de frango ou peru. Não entre naquela conversa de que só se absorve de 30-40 gramas de proteína por refeição que deve ter um intervalo de 2.5 a 3 horas. Ocorre que nós marombeiros abrimos o que é chamado de “janela de oportunidades” após um treino adequado (alta intensidade) e podemos absorver muito mais proteínas e outros nutrientes nesta hora do dia.